domingo, março 21, 2010

Galeria de Espelhos




(d’aprés Spiegelsaal  / Kraftwerk)


"Ela olha para ela em vez de olhar para ti, e por isso não te conhece. Durante as duas ou três pequenas explosões de paixão que ela se permitiu a teu favor, ela, por um grande esforço de imaginação, viu em ti o herói dos seus sonhos, e não tu mesmo como realmente és."

Stendhal  / Le Rouge et le Noir (O Vermelho e o Negro - 1830)

________



Por longos corredores de metal
A jovem enfim chegou à Galeria de Espelhos
E tornou-se uma projeção de tempos idos

Até as maiores estrelas descobrem-se nos espelhos


Sua verdadeira face fragmentou-se
Naquele labirinto de luzes glaciais
Estilhaços de memórias ancestrais

Até as maiores estrelas encontram sua face nos espelhos


Ela apaixonou-se por seu próprio reflexo
Refratado naquele frio oceano de cristal
Até perder-se por completo de si mesma

Até as maiores estrelas se detestam nos espelhos


Então recriou-se como personagem de si mesma
Personalidade nova, nova identidade
Sem passado, sem memórias

Até as maiores estrelas se transformam em espelhos


A moça agora pertence aos espelhos
Que reverberam eternamente o espectro
Daquela que já não sabe quem foi

Até as maiores estrelas vivem encerradas em espelhos








Ten. Giovanni Drogo

Forte Bastiani

Fronteira Norte - Deserto dos Tártaros

Sem comentários: