sábado, novembro 26, 2016

In Memoriam IX




Indômitos irmãos d'armas:

Fidel Alejandro Castro Ruz foi indubitavelmente o maior líder revolucionário de toda a História da América Latina; um homem que durante mais de meio século encarnou os mais excelsos valores e talantes de nossa gente americana; um tribuno magno da guerra anti-imperialista dos povos da Terra; e, se calhar mais do que qualquer outra coisa, a própria consciência militante das Américas.

Trata-se, com efeito, consoante já dissemos a propósito do falecimento de Hugo Chávez, d'uma perda incomensurável, não somente para o conjunto das forças revolucionárias na América Latina, mas também para os nacional-bolcheviques, evrasianos e partidários da Quarta Teoria Política em todo o mundo.

Caracterizado por um assombroso amálgama entre fé inquebrantável, descortino estratégico, perspicácia tática e idealismo flamejante, Fidel Castro sempre 'combateu o bom combate', seja no plano militar, na esfera da administração pública ou no terreno das ideias. Nos quarenta e sete anos em que esteve à frente do governo de Cuba, nunca transigiu na defesa da soberania, do bem-estar e da liberdade do povo de seu país, e pugnou de forma incansável para que as mesmas conquistas se tornassem patrimônio comum de toda a Humanidade; no último decênio, crepúsculo outonal d'uma vida extraordinária, ainda que restrito ao âmbito da luta ideológica, perseverou na promoção dos mesmos ideais e princípios que marcaram sua atuação política.

Isto posto, declaramos: que para vós se descortinem, infindas e altaneiras, as iridescentes veredas da ARCANA COELESTIA!!!


EXEMPLO VOSSO, LUTA NOSSA!!!




___

Ten. Giovanni Drogo

Forte Bastiani

Fronteira Norte - Deserto dos Tártaros

Sem comentários: